sábado, 11 de dezembro de 2010

PENSANDO A BEIRA DO MAR



Apanhar conchinhas
no fundo do mar ou
apenas meditar sobre as
águas de dentro de mim?

Há um sem fim de passado
e quero viajar na companhia
dos grandes amigos, sorrir o
sorriso gracioso despretensioso
que compõe a razão e o alento
de estar nesse mundo!...

Onde estará a aurora
das nossas vidas passadas?
Onde estará o prazer
incontrolável do amor?
Nos lábios, na pele, no olhar?

Há uma folha branca e a caneta
que me convidam ao consolo
dos doces tempos destempos,
esses que param em nossa memória,
como castigos ou recompensas,
do carnaval que se foi, do lança
perfume, do filme que não respinga
mais o gosto do mel doce mel!...

Sobreviventes é hora de outro
caminho, espero que venha
como luz diante das águas do mar,
com o olhar deslumbrante de menino!


Autor: Roberto de Araújo

2 Comentários:

Blogger EAD/JOYCE disse...

Muito bonito seu texto,as lembranças e o tempo que passa....

11 de dezembro de 2010 11:46  
Blogger Rô Castro disse...

olá, Roberto

Lindo poema que remete ao saudosismo e a esperança de novos dias...

Bom domingo!!

twitter.com/bocade_latao

11 de dezembro de 2010 17:44  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial