domingo, 14 de novembro de 2010

O REAL DO REAL


Palavras e atos,
aqui estão a poesia e
a vida!Amanhã ficção!

Itinerário...distâncias...
Tanto chão, tanto chão!

Estou vazio
como o vento,
que bate na pedra
fria e murmura
um acalento!...

Estar só somente
a mente esvoaça
e a razão se perde
no meio do deserto
de almas, calor e amor:
É a urgência, é a demência
que nos faz diferentes do real!


Autor: Roberto de Araújo

1 Comentários:

Blogger Alessandra Benete disse...

Olá meu anjo amigo, não poderia deixar de comentar, lindo poema! Não tenho mais conta no twitter, mas breve farei outra! Me add no seu blog. bjnhus tenha uma ótima quarta-feira repleta de bênçãos e grandes realizações!

17 de novembro de 2010 07:24  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial