quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

SONHO DE AMOR



Seu corpo
escultura e luz
salvação nesse
mundo rude
contrapondo-se
ao toupor

Seu aconchego
de estrela ao luar
traz na nudez
o sentimento forte
dessa sorte que me
desmancho como
água da fonte como
peixe do riacho
viro Macunaima
esqueço de mim

Há um sabor de vinho
e doçura sem igual
há um vendaval
misturado ao suor
aos lábios e corpos
cobertos de pureza
atravessando séculos
e séculos saeculorum

A vida segue seu curso
nós somos atores da
cena da poesia da
eterna mocidade

A ciência e
a invenção
não impedirão
de ser criança
homem e mulher nessa
chaga nessa saga do amor
puro que caminha ao sol
ao olhar penetrante
ao luar extasiado em
busca do transcendental


Autor: Roberto de Araújo




2 Comentários:

Blogger ROSANADESAROM disse...

Parabéns pelo blog! Shalom!

2 de abril de 2011 12:45  
Blogger Ane Costa disse...

Lindo,adorei...............

2 de abril de 2011 14:12  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial