quinta-feira, 24 de março de 2011

CAVALO LÍRICO



de metáfora ambulante

segue meu cavalo


queria apenas erigir

uma rosa...

mas é inútil

a paixão pelo

céu azul


vou-me embrenhando

nesta mata sem fim

não sei onde vou chegar

pelo menos que o canto

não perca o momento

da rosa límpida

que agora vejo

no jardim


Autor: Roberto de Araújo

1 Comentários:

Blogger Carmen Regina Dias disse...

" que o canto

não perca o momento

da rosa límpida

que agora vejo

no jardim"

,

Só para ler este verso alongou-se a noite em estrelas, aromas e en cantos inefáveis,
o mel escorre pelos cantos do olhos,
a madrugada se insinua no horizonte do poeta,
lá vem ele, poesia na ponta da língua,
rosa límpida no olhar.


besos de poesia ao poeta
da rosamorosa.

24 de março de 2011 19:19  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial