quinta-feira, 23 de junho de 2011

A PROFESSORINHA DE FRANCÊS


Lá vinha ela toda delgada
para a sala de aula
lecionar o francês de Paris!

Os alunos, nós enfileirados
respondíamos, bons jours,
bons soir e ela nos ensinou
que bonjournée era para
todo o dia e a noite!

Seu corpo de violão
e cinturinha de violino
eram a melhor canção
do que a de Charles As Navour!

Os olhos verdes de diamante
raro, sorriso largo, cabelos
louros, corpo em redondilhas
sensuais, sapatos de Branca
de Neve com saltos agulha
e um perfume tão doce que
incendiava toda a sala
ao olfato daqueles
pobres rapazes!

Não se sabia se púnhamos
os olhos naquele diamante
em todos os sentidos
ou se assistíamos aula
de francês: - Je t'aime Paris
la ville lumière et de liberté!

A princesinha namorou e
enamorou-se de meu irmão
que faleceu com 30 anos, nos
anos dourados, muito choro
e sofrimento ao depois
outros amores vieram
e dizem que se casou
em São Paulo- SP e
nós alunos, como diz
os antigos, cada um
seguiu seu rumo ou
sem rumo mesmo!

Mas o tempo passou
e quede os olhinhos
verdes cintilantes
quede cinturinha
delgada, cabelos
foliados a ouro,
quede sorriso com
biquinho nato para
soar o bom francês,
quede rapaziada alegre?

O diamante não mais
reluz como d'antes a vida
passou em bolhas de
sabão e ele está guardado
na gaveta do esquecimento!

O diamante brilha
ofuscadamente
para que?
E para quem?

Ficou na memória do tempo de
Brigitte Bardot e de hollywood


Autor: Roberto de Araújo

2 Comentários:

Blogger Leila disse...

Um passeio pelo tempo..
Os olhos verdes continuam a instigar a paixão do poeta..maravilha ! !

23 de junho de 2011 18:20  
Blogger Helena Aristoff disse...

Poeta, simplesmente maravilhoso esse poema!!Amei,

15 de novembro de 2011 13:20  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial