sábado, 5 de fevereiro de 2011

A VIDA PELA APARÊNCIA



A Torre de Babel
o mendigo nas ruas
a prostituição granfina
profissionalizada nos
Castelos e Hotéis luxuosos

O cão alimenta-se de caviar
o homem do cotidiano amargo

A vida que seria uma
escada para o céu
vai para lata do lixo

Os pobres comem
o que lhes restam

A diferença de linguagem
o egoísmo mortal
a política irracional
a mídia o jornal
fazem a metáfora do mal

O mundo equilibra na
corda do malabarista
pela hipocrisia do internato
do orfanato pra dizer
que aqui pratica-se
o verdadeiro amor
dos sanguessugas

E o amor passa ao largo
como flocos de morango
nos corpos dos enamorados
que perderam o CPF.


Autor: Roberto de Araújo

1 Comentários:

Blogger Rô Castro disse...

Como é belo e disiludido esse poema, sim a vida superficial a vida pela aparência... o contraste do luxo e do lixo o luxo e o lixo que se confundem!

Parabéns!! @bocade_latao sempre que possível, Eis -me aqui!

abracos Rosana

7 de fevereiro de 2011 17:35  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial