quinta-feira, 19 de maio de 2011

ÚLTIMO ATO



Já posso ir rumo a eternidade...
amei desamei sofri alegrei-me
decepcionei e tudo está consolidado
nessa estrada cotidiana, mas valeu
a pena a viagem ou não, sou apenas
sobrevivente, não pela velhice
que não as tenho, mas pelo filme
diante da tela sempre igual!...

O poeta é essa contradição
em si mesmo!...

As mãos transcendem
sangue que lava
da cabeça aos pés
e tudo se acaba com
gosto de fel ainda que
nos engane como sendo mel!...

Saímos de cena
desse mundo maluco
é pena que só os cantores
sofredores enxergam
que cada qual sinta-se
o ator principal!..

É mal achar que brincamos
com o amor ele é que brinca
com a gente e nos faz demente
fora de circulação, na lama
da solidão, certo de estarmos
sozinhos no deserto!..

Só nos resta o amém do
além ou o sossego profundo!...

Vida que não segue
mas a eternidade
que desconhecemos
está ali mesmo sem
dor, sem razão:
a paz intangível!...


Autor: Roberto de Araújo





Autor: Roberto de Araújo

1 Comentários:

Blogger Maria Cristina disse...

também amo escrever, se quiser ver algumas, me diz ! Contato : cris.love.cat@hotmail.com

19 de maio de 2011 16:00  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial