sábado, 21 de maio de 2011

POEMA VERMELHO



A tarde cai
em vermelho
avermelhando tudo
meu coração
minha ilusão
meu desamor!

Há uma boiada
d' eu menino
que avermelhou
na minha memória!

A casinha
simbolo da
pureza
avermelhou
a esperança
daquele amor
indolor que bate
no peito agora
com uma imensa dor!

A canção que
era azul rubra
ficou na mente
quase doente!

Travei guerra
com meu ser
e registrou-se
a vermelhidão!

Nessa aquarela
única de cor
veio a lembrança
do beijo do meu
avô na minha avó
escondidinho atrás
da cortina vermelha!

Quantos horizontes
quanto amor
naquele tempo
que todas as cores
se harmonizavam!


Autor: Roberto de Araújo

3 Comentários:

Blogger Leila disse...

Também sonho..o amor quase termina com nós kk.
Mas na derrota fazemos poesia.
Ela ilumina nossos sentidos..
Obrigada amigo..
Lindos versos..o amor de outrora era precioso..
Queria ter nascido naquele tempo.

21 de maio de 2011 14:54  
Blogger EAD/JOYCE disse...

Lindas lembranças.

21 de maio de 2011 15:30  
Blogger norma disse...

O amor avermelha a face! embranquece a alma! e faz brilhar um coração vermelho! beijo @norminhasueli

23 de maio de 2011 22:57  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial