segunda-feira, 1 de agosto de 2011

BENDITA ILUSÃO










As portas estão abertas
com todas as regalias,
tapete verde, azul,
amarelo ouro e vermelho!

Entra em todos os meus
orifícios e malefícios
da minha pessoa!

Você é o remédio, a morfina
a clemência, o doce que
passa pelos olhos da criança!

Sem você não adianta ir
para Minas escutar o riacho,
ver os montes, as flores
ficam murchas e perdem
seus viços e suas cores!

Sua majestade sente-se
nesse trono ou no meu
colo mesmo. Uma ilusão
em troca de mil pesos
de ouro. Sem você não
existo.Sua excelência
supremo bem da ficção!

E todas as ficções reais,
irreais, tudo a mesma
coisa ou coisa alguma,
pega nos braços da
ilusão e vamos dar as
mãos pelo mundo e rodar
como a dança da cirandinha!

Sem você ilusão a vida
tem gosto de sabão
ou do cocrante isopor!


Autor: Roberto de Araújo

2 Comentários:

Blogger Assis Azevedo disse...

Quem diabo é essa Bendita Ilusão?

Parabéns, poeta. Gostei bastante.

Abraços,

Assis Azevedo

1 de agosto de 2011 18:54  
Blogger @marombeira Jociclene Souza disse...

Sem você não
existo.Sua excelência
supremo bem da ficção!
Adorei Poeta dos Poetas.Bjos

2 de agosto de 2011 12:08  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial