quinta-feira, 4 de agosto de 2011

BUSCAPÉ


no meio da estrada repenso
no meio do meio trepenso
no meio da escada tropeço
e me calo
com o calo no peito
com o calo no pé
com o sonho no bolso
no descaminho do pé
mas rescende poesia

de metáfora ambulante
segue meu cavalo

queria apenas erigir uma rosa...
mas inútil
a paixão pelo céu azul

vou-me embrenhando nesta mata sem fim
não sei onde vou chegar
pelo menos que o canto
não perca o momento
da rosa límpida
que agora vejo
no jardim


Autor: Roberto de Araújo

1 Comentários:

Blogger Dicas Vituri disse...

Mas...boa noite mesmo,
E se pintar tormentos: noite fria, dia nublado...
Em todos os momentos, eu quero que vc seja abençoado e feliz...sucesso!!beijosss e até mais.

4 de agosto de 2011 16:54  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial